Credito pessoal

Credito pessoal para desempregados

Credito pessoal para desempregados
Credito pessoal para desempregados
9 Partilhas

Credito pessoal para desempregados

 

O crédito pessoal para desempregados  é um tema mais complexo.

A complexidade existe tanto pela dificuldade de o conseguir, como pela situação desesperante em que as pessoas se encontram.

No caso de necessitar de um crédito pessoal para desempregados, saiba desde já que existem poucas alternativas. E que poderá, ainda, enveredar por uma solução bastante problemática.

Antes de mais analise qual a necessidade do crédito, sendo a sua situação financeira sensível opte por prescindir deste financiamento se não for absolutamente necessário.

Caso a necessidade seja de primeira instancia deve então calcular o valor dos rendimentos do agregado familiar.

O valor do crédito, ou da soma de créditos que possa ter, não deverá ser superior a 40% do seu rendimento.

Caso a prestação seja muito elevada poderá entrar em  incumprimento com as suas obrigações.

O incumprimento financeiro, pode levar à penhora de bens, de salários, e até mesmo se retratar num processo judicial moroso.

Por norma para pedir um financiamento tem que apresentar provas concretas que tem capacidade de pagamento, que são:

  • Irs e comprovativo de liquidação
  • Contrato de trabalho e últimos três recibos

Estando numa situação de desemprego não poderá apresentar o contrato ou recibos recentes.

Caso seja uma situação de desemprego recente pode tentar pedir um crédito apresentando só o IRS e nota de liquidação.

Por norma os bancos são sempre mais exigentes do que as agências de credito pessoal.

Poderá, portanto pedir um financiamento numa agência financeira.

 

Cuidados a ter antes de pedir um crédito pessoal

Evite qualquer agência que não seja reconhecida pelo Banco de Portugal.

Poderá ver-se envolvido numa situação de burla, ou acabar por dever dinheiro a uma entidade que, não sendo controlada pelas normas nacionais, lhe cobrará os juros que quiser.

Caso consiga colocar alguém como um proponente empregue, ou seja um segundo nome, no contrato de crédito pessoal para desempregados, não deverá ter nenhum constrangimento no seu pedido de crédito.

Tenha em memória que as entidades financeiras podem recusar o seu pedido, como tal vá a algumas entidades, explique abertamente a sua situação e poderá ser mais fácil obter uma resposta positiva.

Por vezes o crédito pessoal para desempregados surge como uma forma de não entrar em incumprimento num outro crédito.

Recorde-se que se for o caso deverá contactar a instituição financeira a quem está a dever dinheiro, e explicar a sua situação atual.

Poderá renegociar o crédito por forma a pagar menos.

Tem ainda a possibilidade de ativar o seu seguro, que por vezes cobre situações de desemprego, quando não é por justa causa.

De qualquer modo tem ainda a possibilidade de falar com alguém próximo, e verificar a possibilidade de lhe fazer um empréstimo.

Desta forma poderá ver o custo do crédito anulado, e terá unicamente que honrar o compromisso do valor inicial.

Ainda que lhe pareça tentador, um crédito pessoal para desempregados, pode ter mais pontos contra do que a favor.

Numa situação de desemprego podem lhe cobrar taxas de juro elevadas, consequentemente o crédito ficar-lhe-á muito caro.

Acima de tudo não tem como saber quando a situação estará normalizada.

Pedir um crédito pessoal para desempregados é, por isso, uma situação que só deverá considerar em último recurso.

9 Partilhas