Início » Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal
Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal
Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal
Credito pessoal

Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal

11 Partilhas

O Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal é um documento que reúne toda a informação sobre todos os créditos que uma pessoa singular ou coletiva tem.

No fundo, é um historial completo relativamente a créditos, quer estes tenham sido pedidos em bancos ou noutras entidades credoras.

Neste documento constam também as prestações e valores em dívida, no caso de esta situação se verificar. 

Qualquer pessoa tem o seu Mapa de Responsabilidades e pode consultá-lo.

Por norma, as instituições bancárias aquando do pedido de um novo crédito ou de um primeiro crédito consultam este documento.

O objetivo primordial é compreender o historial de crédito da pessoa e avaliar o risco ao conceder o crédito. 

Todas as informações que constam são da inteira responsabilidade das instituições que concederam os créditos e são estas que comunicam todas as informações ao Banco de Portugal. 

Como consultar o Mapa de Responsabilidades de Crédito?

Pode facilmente consultar o seu Mapa de Responsabilidades através da internet, acedendo à página online do Banco de Portugal e seguindo os passos seguintes: 

  • Deve ler as condições de acesso à Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) e aceitar as condições, obviamente no caso de concordar. 

O clique deve ser feito em “Li e aceito a política de dados pessoais e as condições de acesso por via eletrónica à CRC”. 

Nestas condições de acesso há a informação de que “A obtenção do Mapa de Responsabilidades de Crédito está dependente da aceitação de utilização de cookies e de autenticação válida. 

A autenticação é efetuada através do Cartão de Cidadão, no caso de pessoas singulares ou das credenciais disponibilizadas pela Administração Fiscal para o acesso ao Portal das Finanças, no caso de pessoas coletivas e também pessoas singulares. 

Todos os acessos devidamente autenticados consideram-se feitos por um legítimo requerente. 

O Banco de Portugal não se responsabiliza por acessos ilegítimos, resultantes da utilização abusiva dos elementos de acreditação.”

  • Se pretender aceder à informação histórica sobre as suas responsabilidades de crédito, deve selecionar essa mesma opção e escolher o ano e o mês a que pretende aceder. É-lhe permitido consultar informação até um máximo de 5 anos.  
  • Carregue em “Autenticar e obter mapa”.
  • É necessário autenticar-se com as suas credenciais de acesso ao Portal das Finanças. 
  • Pode abrir o ficheiro, em formato PDF clicando em “open”. 
  • Se pretender pode guardar o ficheiro com o mapa de responsabilidades de crédito selecionando a opção “guardar/save”.  

Observação importante: Quando aceder ao portal saiba que tem cinco tentativas para introduzir as suas credenciais corretas.

Se ultrapassar este limite o portal é suspenso e não poderá continuar a tentar. 

Como ler o Mapa de Responsabilidades de Crédito?

O Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal reúne muita informação que é necessário compreender. 

Se nunca pediu o seu Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal ou se já pediu mas não sabe interpretá-lo bem, vamos deixar-lhe todas as informações de que precisa analisando passo a passo cada campo do mapa. 

– Nome: nome do legítimo requerente do mapa 

– Período mensal: período de tempo que selecionou previamente e que compreende toda a informação seguinte.

– Tipo de responsabilidade: neste campo é-lhe apresentado o crédito/ os créditos que tem, o número de titulares e responsabilidades como fiador, avalista,… se se aplicar.

– Produto financeiro: neste ponto é-lhe descriminado se se trata de um crédito ao consumo, crédito habitação, crédito automóvel, crédito pessoal…

– Tipo de negociação: totalmente nova no caso do contrato ser uma operação nova, renegociação regular para situações em que o contrato decorre de uma renegociação de um contrato anterior, renegociação por incumprimento se o contrato for resultante de um processo de incumprimento e respetiva renegociação, renovação automática, para os casos em que o contrato é resultado de uma renovação automática de um contrato anterior e em litígio judicial para situações que estejam entregues à justiça, no âmbito de uma ação judicial

– Prazo original: neste campo aparece o prazo inicial estabelecido aquando da assinatura do contrato. 

-Prazo residual: compreende o tempo em falta para liquidar o valor em dívida

– Número de devedores no contrato: diz respeito ao número de devedores no contrato em causa. 

– Total em dívida: valor que está ainda por liquidar.

– Montante em incumprimento: no caso de se estar perante atrasos no pagamento do crédito. Poderá estar: 

Abatido ou ativo: no caso de ter havido uma renegociação do valor em dívida e de o cliente não ter capacidade de liquidar o valor. 

– Vencido: para as situações em que o crédito se encontra em atraso. Aqui apresenta-se igualmente o tempo que corresponde ao incumprimento.

– Entrada em incumprimento: para as situações em que se estiver perante um incumprimento aqui fica a par da data em que se verificou o primeiro pagamento em atraso. 

– Potencial: valor que a pessoa pode utilizar, havendo autorização para tal. Este campo refere-se a título individual. 

– Prestação e periocidade: mensalidade definida e respetiva periocidade. 

– Garantias: por exemplo, se se tratar de um crédito hipotecário em que foi dada uma casa de garantia, aqui é o valor que o banco atribuiu a esta garantia usada no empréstimo. 

Este documento, que pode ser consultado a qualquer momento e em qualquer lugar, através da internet é um resumo da situação financeira, do historial de créditos que faz parte de um sistema de informação gerido pelo Banco de Portugal.

Pode tratar-se de um ponto a favor da pessoa que tem um bom historial e que pretende solicitar um crédito.

Quanto à informação “menos positiva” que possa constar, claro que isso é levado em linha de conta pelas instituições bancárias quando a pessoa pede um novo crédito.

Se está perante uma situação de incumprimento, se atravessa uma fase complicada na sua vida financeira não deixe de pedir este documento e faça o que lhe for possível para regularizar a situação para que, no futuro, quando precisar de crédito este documento não seja um entrave. 

É que, no fundo, nada é possível de apagar ou esconder mas os esforços que a pessoa faz para regularizar e cumprir com a sua “palavra” também ficam registados. 

11 Partilhas