Seguro de Vida do Crédito Habitação
Seguro de Vida do Crédito Habitação
Credito habitação Finanças Pessoais

Seguro de Vida do Crédito Habitação

0 Partilhas

Um dos sonhos de qualquer pessoa é comprar uma casa e tornar-se independente.

Mas, talvez, seja uma das decisões financeiras mais importantes da nossa vida.

Muitos portugueses têm optado por comprar uma habitação em vez de continuarem com um arrendamento, uma vez que os senhorios têm estado a aumentar os preços das rendas para valores incompatíveis com o orçamento familiar.

No entanto, é crucial sabermos os riscos ao contrairmos um crédito hipotecário, nomeadamente a importância e a finalidade de um seguro de vida crédito habituação.

Queremos ajudá-lo a tomar as melhores decisões, caminhando ao seu lado!

Finalidade do seguro de vida associada à hipoteca

A contratação de um seguro de vida do crédito habitação não é obrigatório por lei.

O pagamento do empréstimo junto da entidade bancária que financiou a habitação será totalmente assegurado, em caso de incumprimento por morte ou invalidez dos titulares.

Por sua vez, também garante a proteção à sua família e evita a possibilidade de perda da habituação.

Afinal, se não efetuar uma contratação de um seguro de vida do crédito habitação, a responsabilidade do pagamento da hipoteca ficaria sobre os herdeiros legais ou fiadores.

Devo contratar um seguro de vida?

Provavelmente, já teve conhecimento de pessoas que perderam a vida e deixaram as dívidas aos seus herdeiros.

De forma a conseguirem efetuar o pagamento em falta, os herdeiros tiveram que vender os bens, acabando sem dinheiro e, às vezes, sem a própria habitação.

Embora, um seguro de vida do crédito habitação seja um gasto adicional na maior parte do orçamento familiar, é importante que tenha consciência do risco, caso não queira contratá-lo para assegurar o pagamento da sua hipoteca numa situação de fatalidade.

Diferença entre um seguro de vida e um seguro de vida do crédito habitação

Tipicamente, num seguro de vida “normal”, o capital seguro é fixo.

Desta forma, não é sujeito a alterações anualmente. Os beneficiários são aqueles definidos pelo tomador do seguro.

Por outro lado, num seguro de vida do crédito habitação, o capital seguro vai sendo reduzido em função do valor em dívida.

Quem concedeu o seu empréstimo é o grande beneficiário.

É obrigatório realizar o seguro de crédito habitação com o seu banco?

Não é obrigatório contratar o seguro de vida associado ao seu empréstimo com a sua entidade bancária.

Mas, normalmente, a entidade bancária tem a tendência de aumentar o spread, caso não siga esse caminho.

Evidentemente que não devemos conformar-nos com a proposta de seguro apresentada pelo nosso banco.

Apesar do aumento dos juros do empréstimo, poderá continuar a compensar financeiramente a contratação de um seguro de vida numa companhia de seguros diferente.

Estude todas as opções e faça muitas contas, antes de subscrever o seguro de vida. Nem sempre o aumento do spread se traduz num aumento de custos!

Adicionalmente, alguns bancos também oferecem taxas mais competitivas, se contratarmos produtos adicionais como seguros, a domiciliação de ordenado ou a subscrição de cartões de crédito.

Diferença entre o seguro apresentado pelo nosso banco vs outras seguradoras

De acordo com a lei, nenhum banco pode proibir a contratação externa ou transferência de um seguro de vida do crédito habitação. Aliás, nem sequer é obrigatório a contratação deste tipo de seguro!

Embora apresentem as mesmas coberturas e serviços que outras companhias de seguro, para as entidades bancárias conseguirem manter o nível de rentabilidade do crédito habitação cedida, eles aumentam o preço do seguro de vida. 

A grande diferença é verdadeiramente o PREÇO da subscrição.

Anualmente, poderá poupar mais de 200 euros, se escolher uma proposta de seguro de vida apresentada por outra companhia de seguro que não esteja associado ao seu banco. 

O que é o capital seguro?

Num seguro de vida crédito habitação, o capital seguro é o valor monetário que a companhia de seguros fica encarregue de liquidar, quando algumas das coberturas (morte, IAD e ITP) é acionada.

Na realidade, corresponde ao montante em dívida ao seu banco, sendo que a companhia de seguros deve atualizá-lo ao longo do período de empréstimo, consoante a amortização realizada pelo titular.

Coberturas do seguro de vida

Num seguro de vida do crédito habitação, as coberturas mais comuns são as seguintes:

  • Morte: sem dúvida que é a cobertura base associada a qualquer empréstimo à habitação. Em caso de morte do titular, o pagamento do empréstimo fica totalmente assegurado junta do banco;
  • Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD): se o titular do crédito tiver um acidente ou uma doença em que fique totalmente incapacitado de exercer uma profissão ou uma atividade lucrativa, esta cobertura será acionada. Esta situação poderá traduzir-se num grau de invalidez igual ou superior a 80% e pressupõe que necessite de uma terceira pessoa para cuidar das suas necessidades básicas;
  • Invalidez Total e Permanente (ITP): Em caso de acidente ou doença que deixe o titular da hipoteca com um grau de invalidez igual ou superior a 60%, a cobertura ITP garante o pagamento do crédito. No entanto, terá que ficar incapacitado de exercer uma atividade remunerada para conseguir acionar esta cobertura e a sua habitação ficar paga. Nunca ninguém está livre de ter um AVC ou um acidente que nos atire para uma cadeira de rodas e a habitação ficaria automaticamente paga!

Mesmo que a sua prestação fique um pouco mais elevada, tenha sempre em consideração o risco.

Esteja atento às exclusões

Antes de escolher definitivamente o seguro de vida, verifique as diferenças de coberturas. Há seguros que não apresentam algumas coberturas. Alguns exemplos:

  • Cobertura de atos de terrorismo
  • Cobertura relacionada com condutores de motas
  • Cobertura geográfica

Fatores que influenciam o cálculo do prémio

A partir do capital seguro é calculado o prémio do seguro de vida do crédito habitação. Na hora de atribuir um valor, as entidades bancárias avaliam os seguintes fatores:

  • Idade do(s) titular(es): quanto mais velhos forem os titulares, maior é a probabilidade de ocorrer um acidente que necessite da ativação de uma das coberturas do seguro e, consequentemente, mais elevado será o valor do prémio. 
  • Atividade remunerada: existem profissões consideradas de risco elevado para as entidades bancárias. Veja o exemplo de um GNR e um programador informática em que o agente tem um maior risco de ficar inválido ou morrer, logo o valor do prémio é mais agravado.
  • Montante em dívida: quanto maior for o montante em dívida, maior será o risco da companhia de seguros. Logo, traduz-se também num aumento de prémio.
  • Saúde: na hora de atribuir um seguro de vida, o estado de saúde das pessoas seguras influência imenso a decisão. Se tiver doenças ou haver uma grande probabilidade hereditária de contrair algum problema, então o prémio a pagar será mais elevado.

Posso mudar de companhia de seguro?

Se contratou o seguro de vida do crédito habitação com o seu banco, em qualquer altura poderá mudar a companhia de seguros, de acordo com o que está estipulado pela lei.

Muitas vezes, essa mudança traduz-se num alívio no orçamento familiar embora, eventualmente, o seu banco aumente o spread.

Antes de tomar a decisão final, faça várias simulações e verifique os prós e contras.

Evolução do prémio ao longo do crédito hipotecário

Com o passar dos anos e, consequentemente, com o aumento da nossa idade, o prémio evolui.

Muitas vezes, sobe de forma descontrolada.

Logo, é fundamental que analise todo o contrato (ano a ano) para assegurar que obtém a melhor relação de prestação/cobertura.

Por vezes, somos confrontados com um prémio que aparenta ser bastante interessante, mas esconde uma dura realidade.

A pressa é a sua maior inimiga, analise tudo ao pormenor!

Término do seguro de vida

O seguro de vida do crédito habitação começa ao mesmo tempo que o empréstimo.

E, só termina quando o crédito estiver 100% liquidado. A lei proíbe que existam cláusulas de penalização, se desistir do seguro por causa de amortização antecipada.

Seguro de vida com duas pessoas seguradas

De acordo com a lei, caso exista mais do que uma pessoa segurada, o seguro pode ser acionado em caso de sinistro para ambos ou apenas um deles.

Assim, o pagamento da dívida fica completamente saldada, se um dos elementos sofrer uma invalidez ou morra.  

Mas atenção, não se esqueça que o valor do seguro de vida crédito habitação deve ser igual ao capital em dívida.

Por vezes, as entidades bancárias apresentam modalidades de seguros de vida em que apenas 50% da hipoteca está coberta. Normalmente, essas propostas são apresentadas quando o pedido é feito para duas vezes.

Neste caso, como o capital seguro não abrange o valor total da dívida, então a casa não fica paga em caso de invalidez ou morte.

Antes de assinar o contrato tem que receber uma cópia e o documento deverá incluir os seguintes dados:

  • Designação comercial do produto
  • Identificação da companhia de seguros
  • Valor total e periodicidade de pagamento do prémio
  • Outros custos de contratação, nomeadamente os custos administrativos
  • Maneira de atualizar o contrato

As informações relativas ao seguro de vida devem constar da Ficha de Informação Normalizada Europeia (documento onde consta informações prestadas aos clientes/contratantes e intermediários). 

Antes de assinar o contrato, esclareça todas as suas dúvidas, leia e analise com muita atenção todas as palavras expostas no documento. Nunca é tarde demais!

0 Partilhas